Ocorreu um erro neste gadget

14 fevereiro 2009

PAPEL DE PLÁSTICO RECICLADO

(publicado em 14.02.09)

Fonte: Embalagem Sustentável

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desenvolveu um papel sintético fabricado com plástico descartado pós-consumo.

Ele já foi testado pela Vitopel, fabricante de filmes flexíveis com fábrica em Votorantim, no interior paulista.

A produção em larga escala para comercialização não necessita de ajustes e o equipamento utilizado para a fabricação do papel tradicional pode ser empregado para o papel sintético, o que, segundo a coordenadora, viabiliza a aplicação no mercado.

Produzido em forma de filmes, o material feito a partir de garrafas de água, potes de alimentos e embalagens de material de limpeza pode ser empregado em rótulos de garrafas, outdoors, tabuleiros de jogos, etiquetas, livros escolares e cédulas de dinheiro por ser resistente.

Ele é indicado para aplicações que necessitam de propriedades com barreira à umidade e água, além de ser bastante resistente.

O projeto teve o financiamento da FAPESP para o desenvolvimento da pesquisa e depósito de patente.

O papel sintético comercializado atualmente é produzido com derivados de petróleo. E a vantagem deste é que ele é produzido com material reciclado, reduzindo o volume desse material no lixo.

Veja mais: Vídeo

Um comentário:

  1. Já tinha visto essa matéria, achei muito interessante. Fiquei imaginando quanto tempo um livro poderia durar, livre de vários problemas, como água, traças, e até mesmo rasgões acidentais.

    O melhor de tudo é que esse papel é produzido a partir de materiais que geralmente são descartados, jogados no lixo.

    Além disso, essa pode ser também uma nova oportunidade de fonte de renda para catadores.

    Abraço

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails