Ocorreu um erro neste gadget

18 julho 2008

COMO SE TORNAR UM CONSUMIDOR CONSCIENTE

(publicado em 18.07.2008)

Texto extraido do InfoMoney de 15.07.2008.

Consumo consciente. Diante de apelos sustentáveis, ecologicamente corretos e socialmente responsáveis, a prática do consumo consciente é cada vez mais cobrada dos consumidores. No entanto, como tornar mais racional a tomada de decisão na hora da compra?

De acordo com a psicanalista e representante no Brasil da IAREP (International Association for Research in Economic Psychology), Vera Rita de Mello Ferreira, criar o hábito do consumo consciente pode ajudar o cidadão a reverter o quadro do consumo exagerado e partir para o sustentável. "No entanto, não é nada fácil. A busca pela satisfação imediata deixa o consumidor vulnerável a qualquer tipo de produto", disse a especialista. "Na hora de atender a um desejo, na cabeça o que vale é a vontade", continua.

Para a especialista, essa atitude é própria do ser humano e pode ser explicada. Segundo ela, apesar de no tempo de Freud não existir esse consumo desenfreado, os princípios da psicanálise podem, de alguma maneira, explicar essa atitude. "É a eterna busca pela satisfação, pelo desejo imediato. Nessas horas, é mais fácil comprar qualquer coisa, sem levar em conta o que é, ou não, sustentável".

Justificativas para as compras

Segundo Vera Rita, depois de comprar, pode até "bater" o arrependimento, mas desculpas e justificativas são sempre fáceis de serem dadas nestas horas.

Além disso, diversas pesquisas apontam que a maioria das pessoas se diz disposta a pagar mais por um produto sustentável, no entanto, os mesmos levantamentos apontam que, na hora da compra propriamente dita, o percentual de pessoas que realmente busca o produto responsável é bem menor.

Para a psicanalista, essa é uma forma de justificar a compra de algo que não é considerado sustentável: o poder aquisitivo x o custo dos produtos. "Mesmo falando que pagariam mais caro por algo sustentável, no dia-a-dia é o preço que fala mais alto", diz.

"Na hora da compra, a satisfação de pagar menos é maior do que a preocupação de longo prazo", explica. "Em geral, a gente não gosta de pensar sobre o futuro e, principalmente quando o assunto é consumo, o prazer imediato comanda a decisão".

Consumidor consciente

Para Vera Rita, por conta dos freqüentes debates e discussões sobre o assunto, as pessoas com mais acesso à informação estão mais atentas às preocupações ambientais. Segundo ela, seria possível dizer que a prática do consumo consciente muda de acordo com algumas variáveis, como:

Educação
Formação
Informação

Além disso, segundo ela, a situação financeira também influencia. "As pessoas com renda mais baixa pensam, antes de tudo, na sobrevivência".

No entanto, é importante frisar que, independente de qualquer nível de instrução ou classe social, todos estão suscetíveis aos impulsos do consumo. "A diferença é que as pessoas em melhores condições estão mais expostas a este debate".

AUTORA: Patricia Alves

Gente, vamos praticar o consumo consciente já???

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails